Printing Day Lages: Padronização de processos é o caminho para indústria gráfica aumentar a competitividade Eventos / Helioprint / Mundo Gráfico

Mais uma edição do Printing Day foi realizada. Desta vez, quem recebeu a programação do evento – idealizado pela Helioprint Soluções de Impressão – foi a cidade de Lages.

Durante todo o dia 24 de abril, empresários e gestores gráficos puderam conhecer os produtos e tecnologias voltados para impressão digital e fazer network, compartilhando ideias e experiências com profissionais, técnicos e representantes da indústria gráfica.

O evento é realizado de forma itinerante em diversas regiões de Santa Catarina, e busca fortalecer a indústria gráfica levando informação para que o empresário do ramo entenda o valor agregado que o produto dele traz.

O consultor comercial da Helioprint, Júlio Jaginski, destaca que o pequeno empresário sofre na briga com as grandes indústrias de impressão. Para poder competir no mercado, precisa estar cada vez mais focado no controle técnico e na gestão da fábrica. “Na maioria das vezes o prejuízo vem por conta do desperdício da reimpressão, por falta de padrões de processos. A impressão digital precisa ser checada antes de sair para a impressora para evitar o retrabalho e, consequentemente, a perda de dinheiro”.

Padronização do processo produtivo

Durante o evento, o proprietário da Cor e Processo, empresa voltada ao fornecimento de softwares para gráficas e especializada em cor e padronização de processos, Robson Xavier de Carvalho, abordou assuntos relacionados a Fechamento de Arquivos e Gerenciamento de Cores. Explicou aos participantes que, por meio da aplicação de um padrão de rentabilidade, é possível baixar gastos e reduzir as imperfeições.

Com essas medidas, os empresários conseguem evitar prejuízos e tornar suas empresas mais rentáveis. “Existe uma dinâmica para isso e alguns passos básicos. A maioria das pessoas não os seguem mais, até mesmo em função da exigência de prazos de entrega, cada vez mais imediatos, mas que são passos necessários”.

Robson aponta os três pilares essenciais para oferecer ao cliente uma boa impressão, com qualidade garantida e lucro. O principal cuidado, de acordo com o especialista, é a verificação de arquivos antes que as matrizes sejam gravadas e a impressão siga para a máquina. Essa é a base de tudo, o alicerce de um trabalho bem feito. Depois disso, entram a padronização dos insumos e processos para que eles tenham repetibilidade.

Com isso, alcança-se o terceiro ponto: o gerenciamento das cores. “Esses dois pilares anteriores irão dar a informação que o empresário precisa para gerenciar a cor de forma que elas possam ser repetidas, consistentes, lucrativas e de acordo com a expectativa do cliente final”.

O consultor de gestão para indústria gráfica e professor da faculdade Senai de Indústria Gráfica, Flávio Botana, tratou do tema Análise de custos e formação do preço de venda para gráficas offset e digitais. O mercado não é fácil e as empresas precisam saber cada vez mais trabalhar com custo e formação de preço para melhorar a gestão e ser mais competitivo.

A parte técnica e toda a tecnologia disponível precisam estar aliadas à uma gestão eficiente para gerenciar melhor a fábrica e obter resultados financeiros satisfatórios.  “Ter um e não ter o outro não vai resolver. A comunicação mudou, e a receita de gestão de 20 anos atrás não funciona mais. A indústria gráfica terá que ser boa tecnologicamente, boa em gestão e, principalmente, ser inovadora. A solução das empresas está dentro delas mesmas”.

Para conhecer mais detalhes sobre o Printing Day e verificar as próximas datas, acesse o site oficial do Evento.

Printing Day - Evento para gráficas


Edson Carlos Krug

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *